Reajuste integral será em novembro para residências e outubro para indústrias

Redução média de 24,9% foi aprovada nesta terça-feira pela Aneel

Após o anúncio na redução da energia para os consumidores da Cooperaliança feito nesta terça-feira, dia 22, em Brasília, a reação entre eles foi muito variada. Enquanto muitos dos leitores de OIçara comemoraram a redução, muitos outros demonstraram desconfiança ou descrença para o reajuste.

A Cooperaliança conseguiu recuperar o subsídio na compra de energia e com isso vai proporcionar uma redução de vai ter a redução média de 24,93% no preço de energia. A redução da alta tensão, ou seja, para as indústrias será de 22,38% e para a baixa tensão, ou seja, as residências será de 26,17%. A redução do preço de energia começará a valer à partir do próximo dia 29 deste mês.

Para entender melhor os prazos do reajuste, é importante saber que existe um calendário de leitura que é diferente para residências e indústrias. A alta tensão vai sentir o reajuste integral já na fatura que vence em outubro, quando a baixa tensão ainda terá um pouco de valor antigo. As residências vão sentir o reajuste integral apenas na fatura que irá vencer em novembro.

Ocorre que o calendário de leitura das indústrias inicia no primeiro dia do mês. Desta forma, a leitura de setembro com vencimento em outubro já inicia após a data do reajuste que é dia 29 de agosto. Porém, a leitura da energia para as residências cujo vencimento será em outubro já iniciou na metade de agosto, quando ainda vigora o valor antigo. Assim, a fatura a ser paga em outubro terá uma parte do valor antigo e outra parte do valor novo.

 

Comentários

COMPARTILHAR