Na Amrec, Içara cai para a penúltima posição na geração de empregos

Dados foram apurados entre janeiro e junho e divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O município de Içara voltou a amargar posições desfavoráveis no ranking da geração de empregos do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) entre os municípios da região carbonífera. De janeiro até abril de 2018, a cidade chegou vinha ocupando a 7ª colocação entre os 11 municípios aferidos na região. Após a publicação dos dados de maio e junho, Içara caiu três posições passando a ser a décima cidade, ou seja, ficando a frente apenas de Forquilhinha que foi o único município a rer saldo negativo.

Conforme reportagem publicada em 11 de junho por OIçara (link abaixo), a cidade tinha em 2018 um saldo positivo de 37 novas vagas. Este saldo porém, caiu para quarto com a recente atualização. Com estas 33 vagas a menos e o crescimento de outras cidades que superaram Içara neste quesito, o município passa a ocupar a penúltima posição, mesmo estando em condição favorável a outras cidades especialmente na questão logística.

Pela ordem, estão Criciúma com 362 novas vagas, Cocal do Sul com 175, Orleans com 135, Nova Veneza com 95, Morro da Fumaça com 65, Urussanga com 64, Siderópolis com 39, Lauro Muller com 23 e Treviso com 13. Depois vêm Içara com quatro vagas apenas e, por último, Forquilhinha com saldo negativo de 42 vagas. O Balneário Rincão não consta no cadastro do Caged.

A ausência de aberturas de áreas industriais e a falta de vinda de grandes empresas são fatores que contribuem com os baixos números de Içara. Nesse quesito, lembra-se que o município não conseguiu emplacar a instalação de duas empresas como Transgás e Cimolai que chegaram a ser anunciadas pelo Governo Municipal e serviriam para recolocar a cidade em posição de destaque na geração de emprego e renda.

OIçara revela a verdade sobre os índices da economia de Içara

Comentários

COMPARTILHAR