PP de Içara vai ajudar governador do PSD, sem saber o lucro disso em 2020

No caso de Içara, além de ficarem sem candidato ao governo, os progressistas ainda terão que apoiar a candidatura de uma sigla que está afinada ao PMDB

O progressistas de Içara decidiram que vão engolir azedo, mas irão abraçar a candidatura de Gelson Merísio (PSD) a governador do Estado, após a desistência de Esperidião Amin (PP) que será candidato ao Senado. No caso de Içara, além de ficarem sem candidato ao governo, os progressistas ainda terão que apoiar a candidatura de uma sigla que está afinada ao PMDB, a quem o PP faz oposição e que também tem seu projeto de majoritária em 2020. Em síntese, caso a chapa vença a eleição estadual, a torcida do PP é para que isso gere uma aproximação entre as siglas, caso contrário poderá ter dado munição ao inimigo.

“Para nós do PP de Içara foi muito ruim. Nós ficamos perplexos com essa atitude até porque estávamos certos que o Amin seria o nosso candidato ao governo”, comentou o presidente da sigla Jairo Bittencourt. “Apesar disso, nos reunimos no sábado e decidimos que vamos trabalhar para o Merísio ao Governo e Amin ao Senado além de nossos deputados”, completou.

Bittencourt admitiu que o ideal é que essa coligação proporcione uma aproximação entre os dois partidos no município. “Avaliar isso ainda é muito cedo ainda. O PP tem sua candidata a prefeita e até a eleição temos muito o que conversar. Acreditamos e esperamos que o PSD se aproxime do PP em Içara após essa coligação e principalmente com a vitória este ano”, comentou.

Vale lembrar que o PSD está fortemente ligado ao Governo Municipal do PMDB, inclusive com membros ocupando espaços com gratificações importantes, além de secretarias como é o caso da esposa do vereador Márcio Dalmolin (PSD) que comanda a pasta da Assistência Social. Fora isso, é público o alinhamento do presidente da Câmara de Vereadores Alex Michels (PSD) com o atual prefeito Murialdo Gastaldon (PMDB) e seu vice Sandro Serafin (PMDB). No primeiro semestre deste ano, Michels chegou a assumir o cargo de prefeito num gesto patrocinado pelos peemedebistas.

Outro ingrediente é a falta de confiança entre líderes do PP e do PSD como herança da eleição de 2012 em que as relações não terminaram boas, culminando com a posição dos pessedistas de abandonar a oposição para se alinharem ao candidato do Governo em 2016.

Foto: PSD/Ilustração

Comentários

COMPARTILHAR